Na Itália, casal é obrigado na corte a mudar nome da filha por um mais ‘feminino’

O período de gestação de um filho é um momento muito especial e sempre envolve muitos preparativos. Um dos momentos de maior ansiedade para qualquer casal é a hora de decidir o nome do novo herdeiro. Já imaginou finalmente decidir o nome para a criança e acabar sendo forçado a mudar porque a justiça do seu país não aprovou? Pois é, isso aconteceu na Itália.

As pessoas envolvidas no caso não foram expostas, mas o nome que “causou” toda a confusão sim. Uma menina de 1 ano foi registrada com o nome de “Blu”, e o caso se arrasta desde então. Para o governo italiano, o nome vai contra uma lei de 2000 que determina que o gênero do nome deve ser coerente com o sexo biológico da criança.

Os pais da criança chegaram a apresentar outras mulheres no país batizadas com o nome Blu, inclusive uma mulher de 41 anos. Essa mulher inclusive passou por uma situação semelhante, sua mãe precisou convencer os registradores para conseguir batizar a filha com o nome Blu. Parte do argumento passa pelo fato de que outros substantivos já sofreram o mesmo processo antes, como o nome “Celeste”, que antes era usado por homens e agora é basicamente um nome feminino.