Meta 2017: Google quer operar apenas com energia renovável

Quando você pensa em grandes companhias mundiais, é claro que não é de admirar o número absurdamente alto de energia que elas consomem, certo? Esse é o caso do Google, que em 2011, por exemplo, foi responsável sozinho pelo consumo de 0.013% de toda a energia produzida mundialmente. Pode parecer pouco, mas não é.

google-energia-renovavel3

Para 2017, as coisas provavelmente vão mudar, já que em uma publicação oficial a empresa anunciou que vai investir em fontes solar e eólica para a geração de energia. A gigante promete que, no ano que vem, todas as suas bases serão mantidas apenas com fontes de energia renováveis.

Mas essa não é uma mudança radical, se você considerar que o Google é hoje o maior comprador de energia renovável do mundo – o que, em 2015, significou 44% de toda a energia usada pela empresa Além disso, até hoje, a empresa já investiu cerca de 3,5 bilhões de dólares em projetos dessa natureza.

google-energia-renovavel

A importância desse passo da empresa não fica restrito apenas ao seu quintal. Com a mudança, espera-se que outras grandes empresas também se esforcem para cumprir o acordo selado no RE100 – um acordo internacional entre 83 companhias que se comprometem a investir em fontes de energia renovável e operar 100% de suas instalações apenas com esse tipo de energia. Algumas das marcas que integram esse acordo são: nike, nestle, coca-cola, apple, microsoft e starbucks, que esperam atingir a meta até 2020.

Escrito por Roberta Machado

Gosto de escrever sobre diversos temas, principalmente sobre curiosidades e fatos desconhecidos.