Ciência explica a voz de Freddie Mercury

Por que tantas pessoas se encantam ao ouvir Freddie Mercury cantar? O que há em suas músicas que é tão sedutor para o ouvido? Querendo saber se há alguma ciência por trás dos tons marcantes da cantor lendário, ou se é apenas um tipo de mágica, uma equipe de pesquisadores decidiu analisar separadamente algumas de suas vocalizações únicas.

Como revelado em estudo na revista chamada Logopedics Foniatria Vocology, a análise de seu alcance vocal mostra que ele é capaz de modular rapidamente sua voz para se fazer soar tanto doce, quanto rude, o que cria uma boa sensação aos ouvidos.

PUBLICIDADE

Esta habilidade de modulação avançada, provavelmente, decorre de sua rara capacidade de atingir a frequência vibrato, que é maior do que o padrão para vocalistas mais classicamente treinados. Além disso, ele pode ter sido capaz de manipular suas pregas ventriculares, que são pequenas abas dentro de suas cordas vocais.

Ao vibra-las, ele teria sido capaz de produzir “sub-harmonias”, que podem se unir para produzir sons que a maioria das pessoas nunca seria capaz de gerar. A equipe compara a situação ao um sistema de som chegando ao seu limite, enquanto caminha para o caos, e ao mesmo continua soando delicado. Os investigadores concluem que “essas características, em combinação com o vibrato rápido e irregular, pode ter ajudado a criar a persona excêntrica e extravagante de Freddie Mercury.”

Diz a lenda que o alcance vocal de Mercury durou quatro oitavas, mas a meticulosa investigação pela equipe internacional de pesquisadores não encontrou nenhuma evidência para isso. Independentemente disso, os pesquisadores concordam com praticamente o resto do mundo – ele tinha uma voz incrível, e a ciência mostra como realmente idiossincrática que era.

PUBLICIDADE

[ifls]